quinta-feira, fevereiro 24


Pessoa discreta, recatada, de poucas palavras. Sem imposição, opinião ou influência sobre a vida de terceiros.
Silenciosa, fala só o necessário ou menos que isso. Elegante, normalmente passa sem ser notada ou chama atenção pela discrição. Introvertida, de poucos amigos, encanta pelo jeito doce e delicado. Fala suavemente e nunca altera o tom de voz.
Confesso que admiro e gostaria de ter algumas dessas características, mas definitivamente nenhuma delas faz parte da personalidade de uma pessoa influente, as vezes até mesmo manipuladora, que sempre deixa claro suas opiniões, mesmo que nem sempre esta seja requisitada. Fala de tudo o tempo todo, inquieta, hiperativa, impulsiva, intensa em completamente tudo que faz. Que gosta sim de viver situações de conflitos e sempre quer estar no controle de tudo, e se possível ser o centro das atenções. Não gosta de passar despercebida e que deseja todas as luzes voltadas para si.
Acho que a maioria das pessoas prefere conviver e se envolver com a primeira suposta pessoa, que absolutamente não sou eu!
Mas sabe que eu gosto de ser assim. Sei que assusto a muitos, mas isso definitivamente não me importa. Já disseram antes de mim “ eu não vim pra me explicar, eu vim pra incomodar”. É exatamente esse o caminho, porque eu gosto das coisas certas, mas não suporto conformismo. Eu crio tumultos, participo de conflitos, porque acho que devemos viver sempre em busca de mudança em  rumo ao que acreditamos. Houve um tempo eu que não sabia muito bem lidar com a tal da critica, mas com certeza hoje ela faz parte de mim e passei até mesmo a gostar dela. Muito melhor uma critica bem construída a uma boca calada sem opinião, ou que balance a cabeça para tudo o que dizem por medo de expressão, ou má interpretação.
Certamente muitos me odiariam só pela descrição, aquela velha historia do pré conceito...
Pois é, mesmo parecendo às vezes petulante ou impertinente eu gosto muito de ser assim. Que me perdoem os fracos, mas não estou aqui a passeio, muito menos pra aceitar todas as situações prontas e acabas sem qualquer reação. Mas preciso confessar que tenho dificuldade para conviver com pessoas de personalidade similar, vai ver a disputa e o costumeiro ciúme me incomodam.
Uma vez participando de uma gincana, uma amiga ao tentar me definir em uma única palavra disparou “autêntica”. Gostei muito e até concordo, mas se eu pudesse me auto definir eu diria... Intensidade, essa é a palavra!

2 comentários: